• Phillipe Soares

Como não surtar no Home Office?

Esse é um artigo inicialmente publicado no LinkedIn em 2018.

Em 2015 eu decidi que queria mais que apenas viver das 09h às 18h.


Nunca fui o cara mais disciplinado quanto a horários, e isso denunciava contra uma possível empreitada empreendedora. O resultado que vou escrever abaixo é como ultrapassei todas essas barreiras e aprendi a usar o home office ao meu favor.


A primeira grande verdade é a seguinte e vou ser bem claro:


Não importa a condição que você tem hoje ou o que falam de você. Tudo pode mudar. Para o bem ou para o mal.


Independente do caminho, você precisa analisar alguns pontos, entender alguns porquês e seus valores mais importantes.

Nessa época algo já era claro: eu desejava muito a liberdade, assim como um passarinho que está na gaiola e não pode voar tanto quanto gostaria. Eu queria sair da minha gaiolinha. Essa gaiolinha que eu mesmo construí. Sabe aquela história do cachorro que tem uma guia amarrada na coleira, mas que nada o prende? Praticamente a mesma situação.


Imagine a cena: analista de sistemas, escritório, bater o ponto, 1 hora de almoço, não ter hora para sair, tem que fechar as horas do mês, mesmo que a produtividade esteja aquém do seu potencial.


Eu mesmo me coloquei na gaiola.


E tudo o que eu fiz para me motivar foi colocar uma cenoura na minha frente (e atrás também).


Na época não cheguei a me perguntar por quê dessa situação toda que eu me sentia preso. Acabou acontecendo. Os anos foram passando, contas para pagar, compromissos a honrar e uma rotina cada vez mais complexa. Luz do sol? Antes de entrar no escritório, no horário do almoço ou quando tem horário de verão e podia sair às 18h.


Essa é a realidade da maior parte das pessoas de TI que eu conheço, quando não é uma situação pior. Faz parte. Eu vivi isso por quase 10 anos.


Então você pode me perguntar:


O home office é uma solução, certo?

Trabalhar de casa, fazer seu próprio horário, poder viajar e continuar trabalhando.


É possível, mas é totalmente diferente do que você imagina.

O meu despertar para essa mudança do mundo corporativo para o empreendedorismo aconteceu no início de 2015. Eu acabava de mudar de área na instituição que eu trabalhava e ainda buscava algo que fizesse sentido para mim, além de analisar sistemas. E foi nessa época que eu, finalmente, li o livro do Tim Ferriss: Trabalhe 4 horas por semana.


Você pode ler a minha resenha aqui. (Observação: trabalhar 4 horas por semana, na minha opinião, é o que vale menos no livro).


Vou adiantar um pouco essa história para chegar no ponto exato que quero mostrar a você.


O ano de 2016 foi o mais difícil da minha adaptação ao empreendedorismo, home office e liberdade para trabalhar.


Me lembro que logo após a tão sonhada liberdade, me vi perdido no que começar a fazer na área que escolhi para desenvolver os projetos. Porque eu não tinha mais ninguém para pedir as coisas, para me orientar, para me dizer o que eu deveria ou não fazer. E percebi que eu não tinha aprendido a trabalhar sozinho. Ninguém nos ensina isso, não é verdade?


Começamos na escolinha e aprendemos que devemos ficar em silêncio observando e “aprendendo” o que o professor(a) tem a nos dizer. Depois que começamos a crescer, isso se faz mais presente que nunca e, infelizmente, só se desenvolve.


O ciclo é vicioso.


Escola primária, ensino fundamental, médio, faculdade. Você vai fazer TCC ou algum projeto de conclusão e sente a maior dificuldade. É um monstro. Mas ainda assim tem que seguir diversas regras e caminhos. Enfim, essa situação toda acho que você conhece.


Então como aprender a lidar com tudo sozinho, sem chefe, sem processos, sem nada para te nortear?

"Simples"

Comece para aprender.

Esse é talvez o jeito mais fácil, porém o mais estressante.


Então vou listar aqui para você algumas dicas que podem te ajudar a ter uma vida mais tranquila na sua transição para o home office ou o tal do nomadismo digital.


Organize uma agenda: entenda por quê uma agenda pode te salvar.

Quando você não tem mais reuniões para marcar, projetos que chegam até você com prazo definido ou um gestor para te botar pressão, ter uma agenda se torna essencial para você controlar o caminho que você vai percorrer. E aqui não adianta simplesmente anotar os horários que você tem um compromisso com alguém. Isso você naturalmente fará para não esquecer ou dar bolo em alguém.


Estou falando em colocar na agenda o horário de dormir, horário para acordar, horário para fazer alguma atividade física e até separar na agenda um horário de descanso.


E não tem fórmula mágica.


Você vai desenvolver isso naturalmente e vai sentir a necessidade, caso já viva no modo home office.


Monte seu próprio escritório ou local de trabalho: ter o seu próprio local para trabalhar é tão importante quanto definir os compromissos.

Já que você não vai precisar sair de casa para ir ao escritório, você acaba economizando muito tempo com a locomoção e, infelizmente, acaba criando outro problema: não usufrui do tempo da melhor maneira.


A minha dica é criar um ambiente confortável e que você sinta como um escritório, por mais simples que seja para desenvolver os projetos.


Gerenciamento de Projetos

Aqui entra uma parte mais técnica, mas extremamente fundamental. Ter ao seu lado conceitos básicos de gerenciamento de projetos é importantíssimo.


Por que?


Porque é exatamente com projetos que você vai trabalhar, mesmo que não assuma isso. E ter o controle sobre as atividades, objetivos e evolução dos projetos pode ser a diferença entre ter um resultado satisfatório ou não ter.


Uma ferramenta que eu uso e gosto bastante é o Trello, Asana ou o Google Keep.


Procrastine: E mais importante que isso — não se sinta culpado.

Procrastinação talvez seja o mal dessa década.


E muita gente discorre sobre o assunto como algo ruim e inadmissível, pois o mais importante é a produtividade, o bora pra action.


Sim, produtividade é extremamente importante, ser eficiente no uso do seu tempo e na entrega de resultados também.


Entretanto, não somos máquinas. E precisamos de momentos de procrastinação. E, na minha experiência, durante meus momentos de procrastinação, surgiram os projetos mais importantes que desenvolvo hoje (Talk'n Talk).


Procrastine sim. E busque os resultados também ;)


Veja pessoas: já que você vai trabalhar de casa, reserve momentos para ver pessoas diferentes. Esse contato é extremamente saudável e necessitamos disso no dia a dia.

Você começa a perceber a importância das interações sociais quando começa a ficar 1 ou 2 semanas sem sair de casa ou sem ver pessoas. E por conta disso os espaços de co-working tem crescido tanto em SP. A falta desse contato com outros seres humanos dificulta bastante a criatividade e inovação. Então eu sugiro fortemente que reserve um tempo para isso.


No meu caso, entre 2017 e 2018 eu separava as quintas e sextas-feiras para marcar almoços, cafés e encontros para troca de idéias. Além de passar 2 tardes na semana no Campus SP do Google. É extremamente motivador e dá outra energia quando você está em ambientes assim.

Hoje, nessa situação de pandemia e quarentena, eu me encontro diariamente com cerca de 50 pessoas para bater um papo em inglês ou espanhol.


E se você gostou desse artigo, venha bater um papo comigo no talk'n talk.

Vou gostar bastante de ouvir a sua história e poder aprender com ela.


Cheers!

Phillipe Soares


PS: pegue o seu presente e aprenda com o mercado de startups a trabalhar de casa.

6 visualizações